Antes e Durante Tóquio 2020

Pin It

Antes e durante as Olimpíadas de Tóquio 2020 ouvimos muitas vezes a frase “As Olimpíadas vão acabar com a essência do skate”, qual o risco real disso tudo? E afinal, você tem ideia de o que é essa essência que todos falam? Queria só expor algumas coisas que andei pensando ao longo destes anos e do ciclo Olímpico.

Começando do começo, muitos colocam a essência do skate como uma junção de alguns ideais reunidos dentre a comunidade do skate, em sua maioria são, a União, a Liberdade, o Respeito e a Evolução. Agora, todos conseguem ter essa essência no sangue e com força? Claro que não, mesmo porque somos seres humanos, então erramos para caral#@!

Só que repassar isso depende dos skatistas, e não do COI ou do COB, ai você está pensando “Mas o skate virando modinha, vai ter um monte de gente começando a andar só pensando em medalha e cag@#ndo para o estilo de vida!”, nem discordo de você, até acho que possivelmente nas Olimpíadas da França o número de atletas irá superar o de skatistas nas competições do skate, mas uma hora ou outra, você terá contato com um desses pivetes na pista, você tem total liberdade de conversar com eles e passar um pouco das ideias e até ensinar ele sobre como se comportar numa pista ou com seus brothers.

Eu queria listar algumas frases e atitudes que já presenciei nas pistas que vão completamente de contra toda essa questão de essência do skate, mas sei que muita gente ficaria chateada, então queria me ater só a questão, você hoje, respeita plenamente a liberdade dos outros skatistas? De ser, de gostar, de ouvir e pensar? Se não, pensa que essa pequena atitude fortaleceria muito mais a essência do skate do que tirar ele dos jogos olímpicos.

Resumindo, skate é mais que um esporte, é mais que uma frase, skate é um estilo de vida que move muitos e une muitos, agora se queremos que a essência não morra, então devemos ser o exemplo, ser a essência e fortalecer a cena e aqueles que a compõe e não ficar taxando quem pode ou não ser skatista. #eusouskatista

 


Marcelo Sanzoni 

Skatista, com o trabalho em mídia no Canal Eu Sou Skatista desde 2016, militante do skate e sempre focado em divulgar a cultura e a essência do skate, transmitindo pelo menos duas lives por semana no Instagram a mais de um ano e dando voz a lendas, skatistas do dia a dia e fomentadores do skate, aquele que já entrevistou do menino do bairro até Sergio Negão e Tony Hawk, sempre por amor ao skate!.